O vídeo que Aécio Neve senador do PSDB/MG tenta censurar.

images

Porquê só o  PSDB é imune e sempre consegue paralisar qualquer investigação emitindo uma simples nota negando envolvimento de seus afiliados, principalmente o Senador Aécio Neves MG. Consta diversas denúncias contra o mesmo e até o presente nada foi investigado. Procuradores dizem que Aécio possuir contas em um paraíso fiscal por meio de uma fundação que estava vinculada à mãe dele, Inês Maria Neves Faria. Em nota, o senador tucano disse ser inocente. “Trata-se de mais uma falsa denúncia com o claro objetivo de tentar constranger o PSDB, confundir a opinião pública e desviar o foco das investigações”.E as investigação param.Contudo, as denúncias contra Aécio Neves são tantas que não dar para citar em uma matéria. Não param, apesar de não serem apuradas.O lobista Fernando Moura afirmou que Furnas era uma estatal controlada pelo hoje senador Aécio Neves (PSDB-MG) no governo Lula e que o esquema de propina se assemelhava ao instalado na Petrobras.Disse o delator; “É um terço São Paulo, um terço nacional e um terço Aécio”.
O depoimento de Fernando Moura citando o senador Aécio Neves como responsável pela indicação de diretores em Furnas, portanto, ressuscita um antigo esqueleto tucano enterrado pelos órgãos de investigação da operação Lava Jato e de outras investigações ao longo de anos: a Lista de Furnas.

O juiz Sergio Moro não passa de um pal mandado que atua contra o PT e seus aliados a serviço de grupos políticos adversários, que vai tratando de poupar quando as denúncias eventualmente esbarram neles.

Não existe absolutamente nenhuma justificativa para Aécio não ser investigado, assim como tantos outros tucanos envolvidos em denúncias de corrupção. Há petistas presos que foram menos citados que Aécio nas delações.

Já passou da hora da sociedade brasileira entender o que de fato está acontecendo no Brasil. Como a direita consegue se manter acima da lei e prender adversários sem provas.

Quanto mais hesitarmos em formular essa questão e em buscarmos respostas a ela, mais nos arriscaremos a enfrentar uma era de terror a ser desencadeada no Brasil pelo golpista.

Não dá para acreditar que a sociedade civil ainda não enxergue o que está acontecendo no Brasil. Quando acordarem desse transe autista estarão pendurados em um pau-de-arara, como ocorreu na ditadura civil-militar.

Confira, o vídeo abaixo, a íntegra do depoimento do delator contra Aécio Neves.

Fonte:Pragmatismo – O vídeo que Aécio Neves tenta censurar

Jornalista descreve 3 overdoses de Aécio Neves dentro do Palácio da Liberdade e revela como o tráfico de Nióbio abastece as contas do senador tucano. Apesar das provas documentais e do depoimento em uma Comissão da Câmara, mídia não repercute o caso

Um vídeo com o depoimento do jornalista Marco Aurélio Carone sobre graves acusações contra Aécio Neves circula na internet há 2 meses, mas os temas abordados no registro não foram explorados pelos grandes veículos de comunicação do Brasil.

Em sua fala, Marco Aurélio Carone revela à Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados quais eram as denúncias que ele pretendia fazer contra o senador mineiro, mas foi censurado.

As denúncias tratam de financiamento ilegal de campanha, esquema na mineração e exportação de Nióbio, uso político da estatal Cemig, overdoses de droga em pleno Palácio da Liberdade e corrupção de Andrea Neves, irmã de Aécio.

Carone discorre ainda sobre a influência de Aécio no Ministério Público e no Judiciário de Minas Gerais e conta como foi preso para não estragar a campanha do senador, que, na época, disputava a Presidência da República contra Dilma Rousseff.

Advogados do senador já tentaram, sem sucesso, impedir a disseminação do vídeo junto ao Youtube e outros canais de reprodução de imagens.

As negativas para tirar o vídeo do ar partem do princípio de que o depoimento foi dado em uma audiência pública de uma Comissão da Câmara.

VÍDEO:

ÍNTEGRA:

Abaixo, confira trecho de notícia publicada no Viomundo no dia do depoimento de Carone na Câmara dos Deputados:

O jornalista Marco Aurélio Carone ficou preso 9 meses e 20 dias em 2014, em Minas Gerais.

Ele é filho de um ex-prefeito de Belo Horizonte que foi aliado de Tancredo Neves.

No Diário de Minas e no Novojornal, este na internet, passou a fazer denúncias contra o grupo político do hoje senador e presidente do PSDB, Aécio Neves.

O jornalista se diz vítima de policiais, procuradores, juízes e desembargadores de Minas, que estariam a serviço de Aécio.

Carone foi solto 5 dias depois da eleição presidencial em que Aécio foi derrotado por Dilma Rousseff.

Foi absolvido no processo que o levou à prisão.

Mas, enquanto esteve na cadeia, não pode fazer as denúncias que pretendia fazer contra o tucano.

Hoje, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, Carone contou quais eram: financiamento de campanha via caixa dois, envolvimento de Andrea Neves, esquema na mineração e exportação de nióbio e uso político da estatal Cemig, a Companhia Energética de Minas Gerais, dentre outros.

Também depôs Geraldo Elísio, o jornalista que trabalhava com Carone e sofreu busca e apreensão da polícia civil de Minas Gerais — segundo ele, o objetivo era descobrir as fontes das denúncias.

Num dos trechos de seu depoimento, Elísio disse que o helicóptero apreendido com 450 kg de pasta base em Minas fez pelo menos três pousos em Divinópolis, no interior do Estado, sugerindo assim que o aparelho — de propriedade da Limeira Agropecuária, do senador Zezé Perrella, aliado de Aécio Neves — fazia o vôo regularmente.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s