Lula de volta aos braços do povo

Sem título

Lula reforçou que nenhum brasileiro mais do que ele está em busca de esclarecer toda a verdade sobre as acusações. “Quando pedi para que o depoimento fosse transmitido ao vivo é porque minha mãe, que nasceu e morreu analfabeta, dizia que a gente conhece quem está falando a verdade pelos olhos e não pela boca”, contou.

Réu de três ações sob a alçada do magistrado, o petista foi interrogado sobre as acusações de que recebeu vantagens indevidas da empreiteira OAS em troca de contratos com a Petrobras.

Segundo o Ministério Público Federal, a companhia pagou R$ 3,7 milhões a Lula por meio da reserva e reforma de um tríplex no Guarujá, no litoral de São Paulo, e pelo custeio do armazenamento de seus bens depois que o petista deixou a Presidência.

Lula negou ser proprietário do imóvel e que tenha recebido propina da OAS. A Moro, o ex-presidente afirmou nunca ter tido a intenção de adquirir o tríplex, mas admitiu que jamais disse à OAS que não ficaria com o apartamento. Ele afirmou ainda que sua mulher, Marisa Letícia, morta em fevereiro, poderia estar interessada no imóvel como “investimento”.

O ex-presidente também afirmou não ter mandado destruir provas e disse não saber sobre desvios na Petrobras.

O depoimento ocorreu sob grande expectativa. A defesa do ex-presidente vinha afirmando que ele é vítima de “um histórico de perseguição e violação às garantias fundamentais pelo juiz de Curitiba” e chegou a pedir que Moro fosse afastado do caso. O magistrado refuta as acusações – e a solicitação foi negada pela instância superior.

Vou tentar resumir o que ocorreu ontem dia (10/05/2017)em Curitiba/PR , vamos imortalizar esta data como o dia da  inflexão política de uma elite que não sabe ser derrotada em um estado democrático de direito, tal como, foi as eleições de 2014 com a reeleição da Presidenta Dilma Rousseff ; o país está passando por um processo de degradação institucional e politica, onde os responsáveis pelas leis deste país estão faltando com a ética, formulando politicas para uma classe burguesa que não precisam do estado.

Moro, mídia golpista e a burguesia esperava dar o golpe de misericórdia em Lula em sua oitiva em Curitiba. O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (LULA) chegaria atemorizado, seria humilhado por uma onda de camisas-amarelas furiosa – nosso eterno amado Presidente sairia preso da audiência algemado e destruído politicamente, mais foi ao contrário saiu-o no braço do povo fazendo o de melhor que ele sabe fazer, que é dialogar com o povão em praça pública em Curitiba.

Mas o que foi visto foi só uma  parte do  scripts da nova novela do horário nobre da mídia golpista. Nos primeiros dias após a convocação de Lula por Moro, a direita jurídico-midiática pareceu fazer pouco caso da iniciativa do Partido dos Trabalhadores de arregimentar sua brava militância a Curitiba para proteger Lula das milícias morista, da milícia golpista que certamente foram contratada pela FIESP, Globo, Band, Record e outras; mais agora quem vai pagar o pato da FIESP, certamente será a classe dos trabalhadores deste Brasil – estariam esperando o ex-presidente à porta do prédio da Justiça Federal naquela cidade.

Conforme o tempo foi passando, e a mobilização aumentando, Moro começou a se dar conta de que seu plano não iria sair como pensava. As milícias fascistas não fariam frente à maré vermelha que engolfou Curitiba, do ponto de vista numérico, e, mesmo se fizessem, produzir-se-ia um confronto de proporções e resultados imprevisíveis.

Esta iniciativa de trazer o ex-presidente Lula a Curitiba gastando enormidade  de recursos que dava para construir várias escola na periferia de Curitiba, neste malfadado depoimento, que apena só visava os holofotes da grande mídia golpista foi exclusivamente do juiz Sergio Moro, promotores, procuradores federais, dando uma publicidade imensa , onde ele poderia optar por uma audiência via internet, tal como já foi feito em outras ocasião, ou poderia ter mantido sigilo sobre a oitiva ou fazê-la por teleconferência. O custo da oitiva pode chegar à casa dos milhões de reais gasto com essa operação em torno do depoimento do ex-presidente, podia facilmente ter evitado estes gastos de milhões de reais (!)

O vídeo abaixo mostra que não foi bem isso o que ocorreu.

Definitivamente, o tirou saiu pela culatra. Globo(s), Record(s) que está pior que a Globo Band e assemelhados acusaram o golpe da armadilha que eles preparam para apresentar Lula humilhado perante Moro.
O que se viu ontem foi bem claro que pelas redes sociais, foi literalmente o destronamento de Moro e a reabilitação indiscutível de Lula como a maior liderança política e popular do Brasil. Como já era de se esperar a manipulação de informações dados e principalmente de imagens foi o tom durante todo o dia de ontem, porém esse pessoal da imprensa que só sabem olhar para o próprio umbigo e ao mundo imaginário que eles criam 24 por dia, insiste em menosprezar o poder da internet e das comunicações alternativas.

O Juiz Sérgio Moro, optou pela oitiva destrambelhada de Lula, o resultado desse plano infalível da republiqueta fascista de Curitiba – que faliu miseravelmente porque a esperteza, quando é muita, engole o dono – você confere no vídeo abaixo.

Por outro lado, deram mais uma vez a faca e o queijo em uma bandeja para que Lula tivesse a oportunidade de fatiar o requeijão do fascismo descarado de uma elite hipócrita  falando diretamente ao povão, não apenas quem estava em Curitiba mas para o Brasil inteiro e ao Mundo, haja visto a repercussão internacional do acontecimento. Moro por sua vez na véspera fez aquele gesto patético de desmoralizar o que não estava mobilizado, com certeza por orientação da Organização Globo e toda a mídia golpista, para que se justificasse a baixa ou quase inexistente manifestação de apoio a ele e a lava jato, a coisa ficou realmente feia.

Sobre o apartamento que o Lula tinha de se defender das acusações que lhe foram atribuídas pelos procuradores, quase nada foi dito, e nada de posse do imóvel fosse comprovada, muito menos fato novo foram acrescentado; fica-me o inacreditável quanto ao comportamento do Juiz Sérgio Moro, irônico, arrogante e abusivo – a todo o momento fugindo do tema pra tentar leva o Lula a se desestabilizar, chegando a valer-se de técnicas de quinta categoria. Entretanto, o Moro mostrou-se por inteiro a imagem que me fica de um partidário que tem como missão apena retirar de sena para as eleições gerais de 2018, inviabilizando no eterno presidente Lula, não sei a mando de quem, mais fica nítido sua vontade, O juiz Sérgio Moro ficou na maior parte do tempo pedindo explicações sobre o sítio, mensalão, Instituto Lula, sobre manifestações políticas de Lula, sobre opiniões pessoais. Fugindo do tema tais como opiniões do cidadão Lula, entrevistas do período 2007, e/ou o mesmo discursos de palanque, documentos tratados e/ou assinados por terceiros, mais sempre fugindo do tema central que era a oitiva sobre o tríplex do Guarujá/SP.

Em determinado momento chegou-se a perguntar-se saberia do conteúdo ou do significado que tinham duas caixas, no meio de milhares, do seu acervo que ainda está lacrado, imaginem-se um presidente, embora em fim de mandato, tivesse tido tempo pra ficar encaixotando vasos ou badulaques?!

Abusivamente o Juiz Sérgio Moro chegou a ameaçar  veladamente Lula caso ele continue fazendo esta ou aquela declaração política, pública. Evidente que o julgamento de Lula já foi decidido desde quando açodadamente Moro decretou a condução coercitiva, ontem foi apena uma parte da apresentação teatral.

Já sobre a Petrobrás Lula disse ter orgulho dela, do pré-sal – quis dizer que com ela pensava em saldar o déficit educacional e de saúde do país – de ter feito os investimentos saltarem de 3 pra R$ 30 bilhões anuais (e a turma do PR tentando explicar a reforma duma cozinha! eu pensei) disse que se soubesse que as empresas e agentes roubavam, teria impedido. Lula disse que nem ele, casa Civil, ABIN, PF, Procuradoria, órgãos de controle ou MP e Sérgio Moro sabiam dos roubos do cartel; que nunca foi avisado; Sérgio Moro disse que não era a sua função saber dos roubos (e nem a do presidente, pensei). Lula retrucou dizendo que Moro sabia mais que ele, pois bem antes mandou grampear envolvidos e ainda deixou-os, por exemplo, muitos deles soltos pra continuarem a delinquir. Em depoimento dado ao juiz federal Sergio Moro nesta quarta-feira (10), o ex-presidente Lula disse e afirmou que seu nome é citado por candidatos a delator como condição para fechar acordo com o Ministério Público Federal.

“Aí, doutor, eu me desculpo com todo o respeito que eu tenho pelo seu trabalho. Esse último mês foi o mês Lula, em que a senha era Lula. Vamos chamar todo mundo. Se pudesse ressuscitar o Conde de Monte Cristo, ele viria aqui falar: foi o Lula o culpado”, afirmou o ex-presidente.

De acordo com a Folha de S. Paulo, Lula fez referência direta os casos de Léo Pinheiro e Renato Duque, que citaram seu nome durante depoimento a Moro.

“Eu vi o depoimento do Leo. Eu conheço o Leo antes e conheço o Leo naquele depoimento. Depois um cidadão condenado a 23 anos de cadeia ser chamado para a coisa mais importante que ele tem pra falar é que o Lula sabia”, disse.

“Depois de condenarem e execrarem a imagem de um pai de família que por mais errado que tenha merece respeito, como o Duque a 40 anos de cadeia e depois prometer para ele liberdade se a senha for falar: “o Lula sabia”, declarou.

Moro foi o primeiro a fazer perguntas a Lula, a partir de 14h20, aproximadamente. Durante as quase 3h20 de perguntas, houve um intervalo de cerca de 10 minutos em que as partes puderam se servir de água e café.

Após o juiz da Lava Jato, foi a vez de o Ministério Público Federal dar início a seus questionamentos, já por volta das 17h40. Depois da Procuradoria da República, os advogados das partes puderam fazer questionamentos e o ex-presidente teve espaço para fazer as alegações finais.

Essa presunção, porém, é muito problemática no direito penal, já que um princípio elementar deste campo do direito impede condenações por presunções de culpa baseadas apenas em posição hierárquica em uma organização (uma empresa, um partido, um governo). Contudo, qualquer juízo específico deve ser feito sempre à luz dos casos concretos, já que as situações de réus distintos raramente são idênticas. Advogado de Lula diz que o juiz Moro fez uma “cena política” na audiência. “Perguntou o que o ex-presidente achava do caso Mensalão. O que isso tem a ver com a ação penal de hoje?”, indagou Zanin.

Lula fala a manifestantes após depoimento a Moro

Manifestantes cantam: “Olê olê olá, Lula, Lula!”

Ao se dirigir diretamente aos manifestantes, o ex-presidente disse que se tiver cometido algum erro não quer ser julgado apenas pela Justiça, mas, antes, pelo povo brasileiro. “Eu não seria digno do apoio de todos os movimentos aqui representados, de todo esse carinho, se eu tivesse alguma culpa e estivesse falando aqui com vocês”, falou emocionado. Lula avaliou que – de todas as manifestações de que participou em toda a sua vida pública (algumas com mais de um milhão de pessoas) – nenhuma delas foi tão gratificante como a desta quarta-feira. “Se não fossem vocês eu não suportaria o que eles estão fazendo comigo”, confessou. “A minha relação com vocês é de companheiros de luta, é de projeto de País”, completou.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s